domingo, 17 de julho de 2011

Flor e ser

Passarinho beijou a flor
Da árvore em dia quente
Passando sobre meu chão,
Lançou pólem. Acidente.

Terra sem pedra ou espinho
terra arada e revolvida
Senti no grão, carinho
Escolhida pra vida

Abracei-o, afaguei
Veio a chuva e me molhou
Abri segredos fecundos
E a sementinha brotou

Estiou e eu dei a ela
O melhor que eu pude dar
Pra que a minha plantinha
Sol nenhum viesse secar

Veio o vento, mas ela
Está n'eu chão enraizada
Deixa cair sobre mim
Flores por ele sopradas.

3 comentários:

  1. Sementes lançadas geram pétalas de felicidade, hein, Regina? Bonito! Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Que delicado, Regina! Gostei da ideia de "eu chão". Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Imaginção de poetisa, imaginação sem limite
    Imaginação que encanta, que a vida embeleza.

    Felicidades, menina!

    ResponderExcluir