sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Cerca

                                                                     
         
Ser que em si cerca
O chão já pisado
Protege-se e cuida
Das dores de sempre
Da asa quebrada.



 

Imagem: portugues.torange.biz 

4 comentários:

  1. Tanta concisão, tanto sentimento! Um abraço, poeta.

    ResponderExcluir
  2. Esse poema é uma pérola, Regina. Pequeno, perfeito, precioso e revela uma dor transformada em beleza. Amo poemas breves. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Proteger-me em minha cerca, das eternas dores... não me deixando consumir pelas mesmas! Sabedoria ímpar! Beleza de objetividade transcendente em seu poema! Abraço da Célia.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Rê (agora autorizado...)
    A força das palavras é tão grande que bastam meia dúzia, apenas, para dizer tudo.
    Um poema tão simples, pequenino, que contém tanta beleza e sabedoria.
    Adorei!

    Obrigada por partilhar comigo a lenda do Uirapuru. Gostei muito. Aliás, eu gosto imenso de lendas, e tenho muitas guardadas para ir publicando. Tenho um amigo brasileiro que me manda de vez em quando, e eu guardo...outras lembro-me de ouvir contar ou de ter lido há muito tempo... E vou partilhando :)

    Uma linda semana. Beijinhos

    ResponderExcluir