quinta-feira, 5 de abril de 2012

Ninho doce

                                                                            Imagem: fottus.com

Ah, quem me dera,
Um poema doce
Mel caindo, dos
Favos à boca.

Quem me dera, sim,
Falar com a força
Dos braços dos jovens
No canavial.

Ser doce e forte:
Criança que ri
Quebrando-te a dor.
Ah, quem me dera!

Palavras de barro,
Gravetos e ramos,
Escrevendo um ninho,
Quem me dera agora.
                                                                                                           
Ninho doce, doce,
De passarinhos
Cantando em festa.
Ah, quem me dera!

*Poema feito para a amiga Nédua Ferreira e para o blog dela, ninhododoce.blogspot.com. Recomendo a visita, para que conheçam o seu trabalho, um primor.

5 comentários:

  1. Eu e o Ninho do Doce fomos agraciados com este poema lindamente escrito por Regina , fiquei feliz demais com este presente , sempre leio os poemas que a Regina escreve e um dia falei com ela que queria muito um poema dela pro meu blog e ela fez com todo carinho e doçura .
    Obrigada pelo carinho e atenção .
    Nédua Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Olá, Regina
    Fiquei muito feliz ao vê-la na minha «CASA».
    Nem sempre nós temos tempo para tudo que desejamos...
    Eu estou atravessand0o uma fase pouco agradável, em que o tempo livre é muito pouco. Ainda assim vou tentando dar um pulinho aos blogs amigos...

    Gostei muito de seu poema, uma linda homenagem a sua amiga.
    Vou lá espreitar, um pouco à pressa, que o tempo não dá para mais.

    Que sua Páscoa seja feliz, com muita Luz, Paz e Amor.

    Apareça sempre. Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Ah, você voltou a poetar e blogar, Regina, que bom! Gostei muito do poema. Seguindo sua indicação, vou dar um pulinho no Ninho Doce. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Belo poema.
    Gostei da leveza do teu blog. Voltarei mais vezes!

    Saudações,

    Margot Félix

    http://compartimentosecretopara.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Querida Regina, você é um ninho doce, cheia de mel para todos o que se aproximam, pena que nossa convivência foi tão pouca, gostaria de trabalhar com você eternamente, porque na correria do dia a dia pouco tempo temos para vivenciar os amigos.

    Lindo poema.

    beijos.

    ResponderExcluir