segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Quando chegas




Imagem do site garatujasfantasticas.com - A Menina e o Céu



Quando chegas, poesia,
De uma alma esburacada,
Transbordando-se em chagas,
Sangram em mim tuas lágrimas.

Quando chegas por aqui,
De outras mãos e suas dores
Dá-me as palavras forjadas
(Sabe-se lá dos porquês).

Quando chegas, poesia,
Aperta-te em meu peito
E sais em um suspiro
Por meus olhos perdidos.


8 comentários:

  1. Lindo, Regina.
    É sempre bom ler teus poemas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Não há como explicar a linguagem da poesia. Tradução de sentimentos...
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  3. Ahh que saudades das suas palavras!
    Adoro suas poesias! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Que bom que você voltou a escrever, Regina! Sinto falta dos seus poemas. A vida não dá folga, eu sei, mas não desisto de vigiar o painel de Blogger pra ver se tem novidade aqui. Desta vez, tinha e linda. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Recepção mais que calorosa à poesia então poetada.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  6. E saem poesias maravilhosas! parabéns. Lindo blog. Se a Srta me der a honra de segui-la, agradeço! abraços

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir