quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O despir-se do poeta


The Tree of Life - Gustav Klimt

Era um dia quente. O homem sem nome não precisava de nada, porque ele tinha uma árvore em que se recostava e a sombra dela que o arrefecia.

Quando o dia não estava quente, também assim ele achava que de nada precisava. Tinha abrigo se houvesse chuva e tinha os pássaros para aliviar-lhe alguma mágoa. Ele tinha ainda o farfalhar das folhas que lhe falavam às orelhas. Ao olhos, nada lhe falava.

As folhas contavam histórias, ora brandas, ora frias, a depender da força do vento e do calor de cada dia. Certa vez cantaram a ele uma poesia e aquela prosa ritmada diferente lhe bateu.

O homem sem nome achou uma beleza a toada de palavras, mas intrigou-se ao pensar no vento, seu velho conhecido, que agora todo novo se apresentava. Onde aquela voz antes se escondia? Dali em diante, ao roçar as folhas, o mesmo poema o vento lhe repetia. Tentando entender o que acontecia, o homem abriu os olhos – imensidão – era isso o que ele via. E do nada precisar, agora só uma coisa queria: a poesia.

Materializar-se-ia ela um dia?

A resposta chegou pela arrumação das palavras que lhe vinham:

Eu existo ao te tocar
E ao portar o que te esforças
Por tragar.
Se me sentes,
Sou em ti
e
Já parti
Para onde não revelo,
Espalhado entre as vidas
Tantas que levo.

Ao ver a poesia vestida de palavras, despiu-se o poeta, que assim nem se sabia. Aquela paz, que era quase como a morte, não existia mais. Tudo por causa de um e isolado na construção. Tantos quereres agora – um nome, por exemplo – mas o e, insistindo em se mostrar, muito o importunava. O homem dormia, acordava e ao ser revisitado pela trova tão pequena, lá estavam versos acima e versos abaixo de um e abandonado, supremo em seu espaço, todo seu e solitário.

Contudo, voltava sempre à sua árvore e pensava, como Caeiro, que só para ouvir passar o vento a vida já lhe valia.


14 comentários:

  1. Ah! Regina! Que delícia de simplicidade... Afinal a exuberância do "e" ... segue a força sensível do vento, com a sua sensibilidade, poetisa Regina! Valeu "e" muito lê-la!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Regina! Lindo demais! Estou aqui digitando e passando por ondas de arrepio. Sua alma transborda poesia. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso, minha amiga!
    Os seus textos/poemas são sempre duma leveza e suavidade que nos transportam para as nuvens!
    É sempre um enorme prazer ler os seus escritos.

    Muito obrigada pela presença na minha «CASA».
    Sim, eu tive a GRANDE felicidade de ter na minha vida um Homem que sabia dar o devido valor à Mulher, e se indignava com toda e qualquer discriminação de que a Mulher era/é vítima.
    Sabe, o meu marido tinha uma verdadeira adoração pela Mãe, minha sogra, uma senhora adorável. Penso que os homens que veneram a própria Mãe são BONS.

    Óptimo fim de semana e feliz Carnaval.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Regina! Com certeza só ouvir esse vento já vale qualquer coisa!
    Que delícia de texto. Me fez viajar em casa frase. Beijo grande pra vc.

    ResponderExcluir
  5. OI REGINA!
    TE VI EM OUTRO BLOG E RESOLVI VIR CONHECER TEU ESPAÇO, O QUE JÁ ESTARIA BOM, NÃO FOSSE A SURPRESA MARAVILHOSA TECIDA EM TUAS PALAVRAS, FAZENDO SURGIR A OBRA PRIMA QUE É TEU TEXTO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Querida amiga
    A minha missão de hoje (nobre missão!) é apresentar parabéns e desejar um muito feliz DIA DA MULHER!
    Um beijo especial pelo dia de hoje.
    Miguel *♥*

    PS – Sou um grande amigo da Mariazita (eu me considero o seu melhor amigo…), e é através dela que estou aqui e me atrevi a invadir o seu espaço, pelo que peço perdão…

    ResponderExcluir
  7. Boa noite, Regina
    Quero agradecer a sua visita e, principalmente, o carinho que demonstra pela minha querida amiga Mariazita, e do qual acabo por sair também beneficiado :)

    Tenho pena de não dispor de mais tempo para visitar as minhas amigas com mais frequência e até postar mais vezes, mas o trabalho absorve-me de tal maneira que me deixa muito pouco tempo livre.

    Apareça por lá mais vezes. Terei o maior prazer em recebê-la.

    Um beijo amigo
    Miguel

    ResponderExcluir
  8. Olá, Regina
    Gostei muito de seu comentário ao meu poema.
    É verdade, o Amor é sempre Amor, em qualquer circunstância ou lugar.

    Que seu fim de semana seja excelente.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. OI REGINA! VOU REGISTRAR AQUI, EXATAMENTE O QUE ME VEIO À MENTE ENQUANTO LIA TEU TEXTO.
    AH! QUE COISA MAIS LINDA!
    VERDADE, ADOREI.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga
    Na impossibilidade de visitar cada blog em particular, recorro, em última instância, a este processo de que não gosto (o copy & paste) para desejar uma Páscoa muito feliz, a si e todos os seus.
    Logo que me seja possível virei até cá mesmo em pessoa )
    Até lá deixo um beijo com saudades.
    ♥ Miguel

    ResponderExcluir
  11. Olá, Regina
    Que bom que voltou! É tão agradável vê-la lá na minha humilde morada... :)
    Espero que agora se mantenha muito tempo entre nós, e me vá dando o prazer da sua visita...

    Até sempre, minha amiga.
    Um beijo do amigo
    Miguel

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Regina
    As suas palavras na minha «CASA», na homenagem à minha Mãe, me derem grande satisfação.(assim como em todos os posts...)
    Obrigada, minha querida, pela sua presença sempre tão carinhosa.

    Um grande Beijinho

    ResponderExcluir
  13. Querida amiga
    Hoje estou passando para lhe desejar um muito feliz
    DIA DAS MÃES.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Vim até aqui, para lhe desejar um Dia das Mães, com alegria. ( domingo - 11/05 ).
    Independente, de ser ou não, um tempo de saudade ( é o meu caso ). Os meus desejos de saúde e paz.
    Abraços.

    CONVITE
    Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
    Eu também tenho um, só que muito simples.
    Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
    Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
    Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
    E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
    Força, Paz, Amizade e Alegria
    Para você, um abraço do Brasil.
    www.josemariacosta.com

    ResponderExcluir